Interfaces com a Educação Básica

O Programa de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa tem trabalhado na formação continuada de professores através de três frentes articuladas: a titulação de seus alunos (vários deles professores da Educação Básica); a promoção de cursos de extensão, atualização, minicursos e palestras; e a publicação de títulos voltados para a divulgação das literaturas de língua portuguesa e a qualificação de professores. 

Tais ações visam aprimorar as formas de inserção de conteúdos das literaturas de língua portuguesa nos currículos escolares, especialmente no que se refere às literaturas e culturas africanas de língua oficial portuguesa e à literatura afrobrasileira, conforme as Leis 10.639/03 e 11.645/08. Por manter projetos de pesquisa na área de Literatura Infantil/Juvenil, o Programa tem colaborado de maneira significativa no aperfeiçoamento de professores para as atividades nessa área. Para atender aos seus propósitos de integração com a Educação Básica, o Programa prioriza, ainda, a publicação de revistas e livros que podem contribuir para a formação de professores e alunos, impactando o cotidiano das salas de aula de todo o país. 

São exemplos de iniciativas recentes, que contaram com a participação de docentes e alunos do Programa, os cursos de extensão "Era uma vez três: diversidade, leitura e práticas pedagógicas na perspectiva da Lei 11.645/08" (2017), "Literatura negra brasileira: diálogos possíveis" (2017), "De volta outra vez: 80 anos de O Hobbit" (2017), "A sub criação de mundos: estudos sobre a literatura de J. R. Tolkien" (2018), "Diálogos e resistências: a África no Brasil e o Brasil na África" (2018),  "Da negritude ao todo-mundo: diálogos entre a literatura brasileira e as artes visuais" (2019), "O fantasma da vanguarda: cenas da literatura e o pensamento contemporâneo (2019), "Sobre Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano" (2020), "Perspectivas étnico-raciais em diálogos interdisciplinares: literatura, artes visuais e educação" (2020), "Rede não cala discute questões de gênero" (2020), "Literatura LGBT+" (2021), entre outros.

No que se refere à publicação de periódicos, merecem destaque as Revista Via Atlântica, a Revista Crioula e a Revista Literartes. Em relação à publicação de livros, o lançamento de e-books, disponíveis na página do Programa na internet, são formas importantes de divulgação do conhecimento para professores e interessados nas culturas e literaturas dos países de língua portuguesa. Também obras como O Brasil na poesia africana de língua portuguesa (antologia), Na tessitura dos signos contemporâneos: novos olhares para a literatura infantil e juvenil, Literatura infantil em gêneros e Literatura juvenil: adolescência, cultura e formação de leitores são exemplos de livros que, publicados por docentes do Programa, contribuem para a formação de professores.

Importa realçar que o Programa de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa conta com a participação de dois docentes da Escola de Comunicação e Artes da USP,  comprometidos com a edição e a publicação de obras, em particular da literatura brasileira, de interesse para o ensino de literatura na Educação Básica. Exemplo é a Coleção Reserva Literária (Editora Com-Arte/Edusp), que põe em circulação obras menos conhecidas de escritores como Artur de Azevedo e Mário de Andrade.  

A produção de materiais didáticos também merece relevo, com a publicação da coleção Veredas da Palavras (três volumes), aprovada no PNLD - Ensino Médio 2018. A coleção, escrita com a participação de uma professora do Programa de Estudos Comparados, estimula a reflexão sobre o português brasileiro contemporâneo e as literaturas brasileira, portuguesa e africanas de Língua Portuguesa. Os capítulos apresentam temas que buscam a aproximação dos alunos, gerando reflexões sobre os direitos da mulher, a condição indígena, a representação da afrodescendência na literatura e o protagonismo juvenil.