Histórico do Programa

O Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo, desde sua criação em 1994, destaca-se por desenvolver investigações e estudos de cultura e literatura ligados às comunidades de língua portuguesa, privilegiando conteúdos que se referem às culturas das nações onde a língua portuguesa é língua oficial.

Destaca-se, também, pelas inovadoras perspectivas comparatistas dos Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, que introduziram no cenário das universidades brasileiras, a particular atenção para a produção cultural de cada uma dessas nações, comunidades ou territórios, a partir das dinâmicas de suas relações históricas internas e externas, bem como, suas diversas e múltiplas formas de organização social. Por esse motivo, ao longo de seu percurso, o Programa esteve sempre atento às especificidades da produção cultural dos países de língua portuguesa e suas imbricações com seus respectivos contextos históricos, nos continentes americano, africano, europeu, e, mais recentemente, asiático, oferecendo condições para estudos específicos referentes às literaturas e às culturas produzidas em tais territórios a fim de estudá-las nas suas múltiplas inter-relações, a partir da perspectiva comparatista e de seus contextos sócio-político-culturais.

Quando de sua criação, o Programa constituiu-se com a participação de docentes cujas pesquisas já eram referência nas suas áreas de atuação. Desde então, vem atraindo outros pesquisadores interessados em investigar as trocas culturais entre povos que compartilham a mesma língua e uma mesma herança histórica marcada pelo colonialismo português. O corpo docente, hoje, de formação diversa, integra diferentes gerações de pesquisadores, possibilitando um diálogo permanente entre variadas perspectivas teórico-críticas dos estudos literários na universidade brasileira.

Procurando atender, portanto, as demandas dos docentes do Programa, bem como, as linhas de pesquisa dentro das quais estão inscritos, é que alguns eixos mais amplos do comparativismo foram encontrando as possibilidades para a sua consolidação, incidindo diretamente nas orientações de pesquisas de Iniciação Científica, Mestrado, Doutorado e supervisões de Pós-Doutorado.

As linhas de pesquisa foram, assim, fortalecendo o perfil do Programa e refletindo o seu forte caráter interdisciplinar, como é possível notar desde a sua progressiva organização entre os anos de 1990 e os primeiros anos do século XXI, cujas linhas eram: História cultural das práticas letradas luso-brasileiras dos séculos XII e XIII; Relações literárias Brasil-Portugal: dos anos 70 (século XIX) aos anos 20 (século XX); Modernismo nas literaturas de língua portuguesa; Neorrealismo: matrizes e variantes dos anos 40 e quarenta anos depois nas literaturas de língua portuguesa; Literatura e sociedade na época contemporânea: Portugal, Brasil e África; Mulher e literatura (ficção, poesia, ensaio); Imagens do Brasil na literatura portuguesa; A literatura infantil/juvenil em língua portuguesa (Brasil, Portugal e África). Assim é que partindo de indispensáveis pressupostos teórico-metodológicos comparativos, enfatizou-se a convergência dos campos específicos do conhecimento de que se baseia, se beneficia e fertiliza a perspectiva interdisciplinar entre as literaturas de língua portuguesa.

Em 2009, adequando-se às novas demandas de seus docentes, aos seus respectivos projetos de pesquisa, bem como, a articulação geral do Programa no que diz respeito à sua organização interna, as linhas de pesquisa foram reorganizadas da seguinte forma: Literatura e Sociedade; Relações literárias Brasil-Portugal-África; Literatura Infantil e Juvenil.

Mediante uma abordagem interdisciplinar relativamente inédita no Brasil, na qual o suporte linguístico comum, a língua portuguesa, é privilegiado e considerado em sua potencialidade de depositório histórico e meio dinâmico através do qual as trocas culturais do mundo em globalização ocorrem, os critérios teórico-metodológicos, provenientes da teoria da literatura e dos estudos da linguagem sempre em interface com as ciências humanas, estão em função de uma interpretação produtiva e continuamente atualizada de obras literárias e artísticas.

Portanto, as definições de novos projetos cujas delimitações foram surgindo por intermédio de questões históricas contemporâneas, acabaram por definir, em 2010, as atuais Linhas de Pesquisa do Programa:

 

. Literatura e experiência histórica nos países de língua: busca o estudo comparativo das produções literárias de língua portuguesa de forma a considerar o processo colonial português e as distintas experiências históricas das sociedades submetidas a esse processo.

. Literatura e outras formas do saber: propõe o estudo comparativo entre a produção literária dos países de língua portuguesa e outras formas de produção do conhecimento, nas suas manifestações artísticas, históricas e políticas.

 

As linhas atuais tornaram possível uma melhor articulação e um maior diálogo entre as diferentes frentes de trabalho, a partir de múltiplos pressupostos teóricos que registram a diversidade e a identidade do Programa fortalecida por uma composição heterogênea de docentes provenientes de várias Instituições de Ensino Superior do Brasil mas cujos horizontes teórico-metodológicos acabam por construir um interessante, sistemático e dinâmico diálogo.